Você conhece os prós e contras da Dieta Cetogênica ou Low Carb?

By 7 de agosto de 2017maio 4th, 2019Público Geral

A dieta cetogênica (uma variação da low carb) vem sendo cada vez mais popularizado. Cada dia mais pessoas aderem a esse estilo de vida que promete promover saúde e bem-estar. Mas além do “achismo”, o que temos de evidência científica sobre low carb/dieta cetogênica? Kosinski e Jornayvaz publicaram agora em 2017 um artigo de revisão abrangendo resultados de estudos científicos com essa dieta. O que eles nos mostram?

Benefícios:

  • Promove perda de peso (inclusive é uma das melhores abordagens para isso);
  • Aumenta o gasto energético em repouso;
  • Aumenta a saciedade (melhor controle do apetite);
  • É excelente no tratamento de enxaquecas;
  • É benéfica para o tratamento de alguns tipos de câncer.

Malefícios:

  • Todos os benefícios acima listados parecem ser temporários (no máximo 6 meses);
  • Há alguma evidência de que cause esteatose hepática (mas faltam mais estudos);
  • Pode causar nefrolitíase (cálculos renais);

Há controvérsias se essas dietas melhoram ou pioram a glicose sanguínea e o perfil lipídico (colesterol e triglicerídeos). Mais estudos precisam ser feitos sobre isso.
A conclusão que fica é: low carb/cetogênica é uma estratégia super válida, mas não é pra todo mundo! Depende da individualidade bioquímica. Seus benefícios também parecem não se sustentar a longo prazo, então cada caso deve ser avaliado individualmente.

Por fim: existem inúmeros protocolos de low carb, com maior ou menor teor de carboidratos, o que pode influenciar na adesão e nos resultados. A low carb deve ser muito bem planejada, dando preferência para alimentos de origem vegetal. Frutas costumam ser cortadas dos cardápios low carb por serem majoritariamente compostas de carboidratos, mas deve-se ter em mente que elas são também fonte de fibras, diversos micronutrientes e ainda são as maiores fontes de compostos bioativos de todos os alimentos! Não há evidência de que a exclusão das frutas da dieta quase benefícios, é justamente o contrário. O tipo de gordura ingerida também deve ser planejada.

REFERÊNCIA
KOSINSKI, C.; JORNAYVAZ, F. R. Effects of ketogenic diets on cardiovascular risk factors: Evidence from animal and human studies. Nutrients, v. 9, n. 5, p. 517, 2017.