Congelar frutas, legumes e hortaliças: pode ou não pode?

By 29 de agosto de 2017maio 4th, 2019Público Geral

Às vezes compramos alta quantidade de um alimento por n motivos, mas depois não conseguimos comer a tempo e acaba estragando. Fica a dúvida: pode ou não pode congelar? Como aqui só falamos com referência científica, vamos ao que as pesquisas mostram.

Bouzari, Holstege e Barrett (2015) analisaram o conteúdo de cálcio, magnésio, zinco, cobre, ferro, fibras e fenólicos totais em 8 alimentos e em diferentes situações de armazenamento: sob refrigeração por 0, 3 ou 10 dias; ou sob congelamento por 0, 10 ou 90 dias. Sabe o que eles viram? Na maioria dos alimentos NÃO HOUVE DIFERENÇA no teor desses nutrientes. Há casos isolados de perda no congelamento, como fibras na cenoura, e outros de aumento no congelamento, como fenólicos no mirtilo, mas no geral as diferenças foram inexistentes ou mínimas.

Em outro artigo dos mesmos autores de 2015, foram realizadas análises com os mesmos métodos, mas aplicadas para vitaminas. Dessa vez eles viram que algumas vitaminas (como alfa-tocoferol, beta-caroteno e riboflavina) são MAIS conservadas sob congelamento.

Para finalizar, em um artigo de revisão de Rickman, Barrett e Bruhn (2007) os pesquisadores mostram que há perdas inevitáveis em qualquer tipo de armazenamento e processamento, mas que o congelamento é SIM uma excelente opção do ponto de vista de retenção de nutrientes! As perdas podem ser compensadas com a ingestão de outras frutas e hortaliças frescas.

Lembrando que frutas e hortaliças congeladas são consideradas alimentos minimamente processados, que devem ser a base de nossa alimentação junto com os alimentos in natura!

REFERÊNCIAS
BOUZARI, A; HOLSTEGE, D; BARRETT, D. M. Mineral, fiber, and total phenolic retention in eight fruits and vegetables: A comparison of refrigerated and frozen storage. Journal of agricultural and food chemistry, v. 63, n. 3, p. 951-956, 2015.
BOUZARI, A; HOLSTEGE, D; BARRETT, D. M. Vitamin retention in eight fruits and vegetables: a comparison of refrigerated and frozen storage. Journal of agricultural and food chemistry, v. 63, n. 3, p. 957-962, 2015.
RICKMAN, J. C.; BARRETT, D. M.; BRUHN, C. M. Nutritional comparison of fresh, frozen and canned fruits and vegetables. Part 1. Vitamins C and B and phenolic compounds. Journal of the Science of Food and Agriculture, v. 87, n. 6, p. 930-944, 2007.