O TIPO DE PARTO INFLUENCIA A MICROBIOTA DO BEBÊ

By 2 de outubro de 2019 Nutrição com Evidência

Você sabia que o tipo de parto influencia na microbiota intestinal do bebê?
Vamos pensar no bebê durante sua formação. A partir da fecundação ele se desenvolve no útero, com o corpo da mãe fazendo a entrega de nutrientes e moléculas necessárias para cada etapa. Então pensem que o intestino do bebê se desenvolve nesse contexto, de zero contato com o meio externo.

O primeiro contato do bebê com o mundo externo é quando ele efetivamente nasce. Mais especificamente, no momento da saída do útero – seja por parto normal, seja por parto cesariana. A diferença principal, para esse contexto, é o LOCAL por onde o bebê terá o primeiro contato com o mundo exterior.Acontece que, atualmente, já se sabe que esse local faz toda diferença no desenvolvimento da microbiota da criança. Já sabemos hoje que o útero não é estéril – portanto, o bebê já começa a ser colonizado por bactérias durante a gestação. Descobriu-se, no entanto, que o primeiro contato com o mundo exterior (que é no parto) tem influência direta na composição da microbiota mais à frente. Isso se deve ao fato de que, sem competição – por ser um ambiente ainda quase sem bactérias –, essas primeiras bactérias de contato são fortes candidatas a aderirem ao epitélio intestinal e lá proliferarem.

E que tipo de bactéria os bebês têm contato em parto normal e parto cesariana?
Bom, no parto cesariana o bebê tem um primeiro contato com o mundo externo via pele materna, visto que nessa cirurgia o bebê é retirado via abdômen. Quando o bebê é retirado, a pele do abdômen da mãe entrará em contato com a pele e a boca desse bebê, o que fará com que a composição da microbiota dele reflita isso. As bactérias associadas à pele, que se mostraram presentes na microbiota de bebês nascidos de cesariana, são majoritariamente Staphylococcus, Corynebacterium e Propionibacterium. O parto normal, no entanto, faz com o que bebê tenha contato via canal vaginal da mãe. O canal vaginal possui várias peculiaridades, como pH próprio, secreções e microbiota própria. Os estudos sugerem que microbiota de bebês nascidos de parto normal seja alta em Lactobacillus, Prevotella ou Sneathia, pois são bactérias comuns ao canal vaginal.

Dessa forma, o parto normal impacta positivamente na composição da microbiota do bebê, enquanto o parto cesariana pode levar à formação de uma microbiota desfavorável. A solução é tentar deixar o parto cesariana apenas para suas indicações clássicas – gravidez de risco ou particularidades do corpo do bebê e da mãe. Se você teve cesariana, significa que seu bebê está fadado a ser obeso?
Não necessariamente. Outros hábitos, como aleitamento materno, introdução alimentar equilibrada nutricionalmente, não-uso de antibióticos, etc. Tudo nas etapas seguintes da vida também modularão o crescimento dessa microbiota. Mas, sabendo disso, é bom ter em mente que a cesariana deve ser sempre uma segunda opção por vários motivos: riscos, custos, recuperação da mulher no pós-parto, dentre outros. Aqui, nesse post, minha intenção foi apresentar mais um desses motivos, ok?

Se você tem dúvidas quanto à microbiota, suas funções e sua importância para a saúde, aqui no site tem uma aula gratuita especificamente sobre esse assunto. Assista, com certeza será proveitoso: Basta acessar o seguinte link. Até o próximo post!

Referência
TANAKA, M.; NAKAYAMA, J. Development of the gut microbiota in infancy and its impact on health in later life. Allergology International, v. 66, n. 4, p. 515-522, 2017.

Leave a Reply

WordPress Lightbox Plugin