Skip to main content

AFINAL, O CONSUMO DE SOJA É SEGURO NA GESTAÇÃO?

By 16 de outubro de 2020Nutrição com Evidência

Devido ao crescente número de vegetarianos nos últimos anos, juntamente com a popularização da dieta a base de plantas, o consumo de leguminosas ricas em fitoestrogênios (especialmente a soja) e alimentos derivados do grupo das leguminosas aumentou. Porém, existem algumas dúvidas sobre os potenciais efeitos na saúde e se o consumo da soja é 100% seguro durante a gestação.

Os componentes da soja que mais têm chamado a atenção na literatura científica são as isoflavonas, que são polifenóis com propriedades estrogênicas contidas nessa leguminosa. Em agosto deste ano, foi publicado um estudo de revisão na revista Nutrients: Effects of Dietary Phytoestrogens on Hormones throughout a Human Lifespan: A Review, mostrando os principais resultados de estudos em humanos sobre o consumo da soja e os efeitos na saúde em diferentes ciclos da vida.

No que diz respeito ao efeito desse consumo em mulheres grávidas, um dos estudos – com foco no risco cardiometabólico – apontou uma melhora do metabolismo da insulina, e por consequência, uma diminuição a resistência a insulina em mulheres grávidas que consomem maiores quantidades de isoflavonas. Além disso, em outro estudo citado, não foi encontrada associação entre o consumo de soja no início da gravidez e o desenvolvimento de disfunção tireoidiana em 505 mulheres que vivem em regiões consideradas com ingestão ideal de iodo.

Os estudos vêm demonstrando ao longo dos anos que não existe relação entre o consumo de soja e alterações hormonais em humanos. Ainda, as evidências apontam que apesar da similaridade molecular entre a isoflavona da soja e o estrogênio, eles atuam em receptores diferentes e não competem em suas ações. Além de não apontar nenhum malefício, o consumo de soja vem se mostrando benéfico e seguro em diferentes ciclos da vida.

Se o foco for gestantes vegetarianas, é importante ressaltar que os nutrientes encontrados na soja (como proteínas, minerais, vitaminas e fitoquímicos), também são encontrados em outros alimentos vegetais, portanto, é importante variar diferentes fontes de proteínas para se obter uma dieta mais adequada e saudável. Outro ponto importante, são os derivados de soja, encontramos hoje no mercado diversas marcas e produtos, fique atento aos seguntes pontos:

1) Leite de soja industrializado: preferir sem adição de açúcares e adoçantes.
2) Proteína texturizada de soja: é um produto industrializado, muitas vezes apresenta corante e solventes em sua composição (evitar!)
3) Shoyu e Missô: o consumo deve ser moderado devido ao alto teor de sódio.
4) Tofu: preferir o orgânico e temperado com temperos naturais

Quer saber mais sobre o universo Materno-Infantil? Te convido para assistir um aulão sobre o tema que acontecerá dia 26/10 às 20h. O evento será online e a inscrição e participação são totalmente gratuitos. Inscreva-se clicando aqui.

Referências:
Rizzo, G., & Baroni, L. (2018). Soy, Soy Foods and Their Role in Vegetarian Diets. Nutrients, 10(1), 43. https://doi.org/10.3390/nu10010043

Leave a Reply