O Coaching em si não é pseudociência, pelo contrário. Apesar de haver necessidade de mais estudos, alguns ensaios pequenos já mostram bons resultados (J Acad Nutr Diet. 2013 Jul;113(7):928-35). O problema do Coaching é a forma como está sendo propagado.

Vejo cursos de formação com diferentes tempos de duração. Além dessa discrepância na duração, muitos acabam ultrapassando os limites e fazendo exercício ilegal de profissão ao prescrever dieta (a legislação diz que é atividade exclusiva do nutricionista). É aí que mora a falta de ética. Isso sem contar nas soluções simplistas para obesidade que já vi alguns proporem. De qualquer forma, é possível aliar o Coaching à prática clínica. Eu mesma tenho formação, mas não atuo. Apenas faço o que fiz com as diversas teorias e abordagens que aprendi: extraio as técnicas e ferramentas que considero úteis e aplico durante a consulta quando necessário.

Na Formação em Emagrecimento e Saúde dedico um módulo para falar justamente sobre as que mais utilizo na prática clínica! Então o Coaching pode sim ser um aliado na nutrição, principalmente o paciente apresenta resistência às mudanças. Mas é importante saber que há comportamentos que não são causa, são sintoma. Nesse caso, encaminhe o paciente para um psicólogo. Ser ético é também saber das nossas limitações e encaminhar o paciente quando necessário!

E nutris, não se esqueçam que o CFN desaconselha a denominação de “Nutricionista e Coach”. Caso você seja nutricionista e tenha curso de coaching, apenas indique em seu currículo!

Annie Bello Phd
WordPress Lightbox Plugin