CAFÉ FAZ BEM PARA O INTESTINO!

By 30 de junho de 2020Nutrição com Evidência

Já tomou o seu cafézinho hoje? Embora tradicionalmente seja considerado uma bebida de baixo valor nutricional, evidências sugerem que o consumo moderado de café pode reduzir o risco de doenças crônicas, como síndrome metabólica, obesidade, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares ou alguns tipos de câncer. Além disso, ele pode afetar diretamente a fisiologia gastrointestinal, aumentando a motilidade e reduzindo o tempo de trânsito intestinal.

Alguns desses benefícios do café foram atribuídos ao seu alto conteúdo em compostos não nutricionais, como compostos fenólicos, fibras, minerais e cafeína, que também podem influenciar as vias metabólicas relacionadas à manutenção da saúde. A cafeína, os polifenóis e as fibras são capazes de atingir o intestino grosso e exercer alguns de seus efeitos, sendo fermentados pela microbiota intestinal. Assim, é possível que alguns dos efeitos benéficos dos componentes do café possam estar relacionados à participação da microbiota no metabolismo de tais compostos.

Recentemente, foi publicado na revista Nutrients um estudo que explorou a interação entre microbiota intestinal, ácidos graxos fecais de cadeia curta e parâmetros relacionados à saúde em 147 indivíduos saudáveis classificados de acordo com o consumo de café. Os participantes foram categorizados em três grupos: não consumidores de café (0 a 3 mL/dia), consumidores moderados (3 a 45 mL/dia) e altos consumidores (45 a 500 mL/dia). Curiosamente, foi observado um nível mais alto de bactérias dos gêneros Bacteroides, Prevotella e Porphyromonas (que são associadas à manutenção da saúde intestinal) nos altos consumidores de café, que também apresentaram menor estresse oxidativo. Grupos de polifenóis derivados do café e a cafeína foram diretamente associados aos níveis de Bacteroides.

Dessa forma, o consumo de café pode sim ser benéfico à saúde intestinal. Mas cuidado para não exagerar! Lembre-se de que a recomendação máxima é de 4 xícaras por dia, ok?

Referência: González, S. et al. (2020). Long-Term Coffee Consumption is Associated with Fecal Microbial Composition in Humans. Nutrients, 12(5), 1287. doi:10.3390/nu12051287

Leave a Reply